IMG_0327

Favela Games leva “Olimpíadas” para comunidades no Rio de Janeiro

Texto e Imagens: Ananda Ribeiro/GNI

Há quem diga que os Jogos Olímpicos começaram no dia 5 de agosto, quando aconteceu a abertura. Há quem diga que começou no dia 3, quando foi realizado o primeiro jogo entre Suécia e África do Sul, às 13h. Mas para crianças de quatro comunidades cariocas – Antares, Rola, Providência e Pedra Lisa – os Jogos Olímpicos começaram no dia 30 de agosto, um sábado, quando elas tiveram a oportunidade de disputar o Favela Games, das 9h às 17h.

As crianças e adolescentes disputaram modalidades como futebol society, futsal,  tênis de mesa e atletismo – tanto no masculino como no feminino. Além disso, as outras crianças e moradores presentes desfrutaram de atividades de lazer, pipoca, algodão doce, brincadeiras e atrações artísticas. O grupo de hiphop GX Brasil – que está se apresentando durante os Jogos Olímpicos – esteve presente e dançou muito com a garotada, que também assistiu a apresentações de teatro de uma equipe de voluntários australianos. O Favela Games foi realizado na quadra do Antares,  das 9h às 17h, pela ONG Refúgio para Meninos e Meninas de Rua (REMER), e teve o apoio do movimento Jesus 4 All e da ONG Jovens Com Uma Missão (JOCUM).

Kelly Rodrigues tem 22 anos e mora na comunidade Antares desde que nasceu. Já foi voluntária da REMER no projeto Universo Cultural e trabalhou como voluntária no Favela Games. “Foi um evento maravilhoso, que integrou a comunidade com os voluntários do projeto. É uma coisa nova para a comunidade e eu achei maravilhoso, porque incentiva todo mundo a praticar esporte”, disse.

 

Segundo o que Kelly nos contou, o evento foi um marco diante da realidade cotidiana de Antares, que costuma ser violenta. Ela comentou que “Tem muita operação, muito tiroteio, a gente não tem esse tempo de se divertir, de brincar e de praticar esporte ao ar livre com segurança. E o dia de hoje tem sido maravilhoso, porque as crianças estão podendo se divertir, ser criança, e participar de um esporte interagindo com outras comunidades, o que é um pouco difícil de acontecer”.

Geizer Vargas, um dos voluntários da REMER, acredita que o Favela Games proporcionou muita coisa boa para a comunidade. “A gente tem certeza que deixou uma mensagem muito legal para as crianças. Foram 176 atletas, das 4 comunidades, cada um participando em várias modalidades. Deixamos a medalha e a Palavra de Deus no coração dessas crianças. Elas vão levar esse dia para sempre nas suas vidas, eu tenho certeza”, disse ele sorrindo.

Outra programação do evento foi o “Kids Games”, que são jogos comunitários com o objetivo de passar valores e princípios para a criançada. Vanessa Americando, uma das instrutoras do jogo, estava realizada por participar de tudo aquilo. “Fomos extremamente abençoados por estarmos ali, e fica a nossa palavra de gratidão por poder participar desse projeto e termos sido benção na vida das crianças. Mas as crianças também foram bênçãos em nossas vidas. É maravilhoso ver o sorriso no rosto de cada uma delas, a alegria estampada por poderem ter tido esse dia de grande festa, de grande alegria para todos”. Alcenir de Oliveira, que também coordenou o Kids Games, concorda. “É uma alegria servir com aquilo que Deus tem nos ensinado a fazer. Ver o sorriso de cada criança, poder participar do amor de Jeuss por eles, do cuidado que o Senhor tem por cada um deles, é uma experiência enriquecedora e que preço nenhum paga”.

Quem quiser saber mais sobre a REMER, pode acessar o site http://www.remer.org.br.