Favela Games leva “Olimpíadas” para comunidades no Rio de Janeiro

Texto e Imagens: Ananda Ribeiro/GNI

Há quem diga que os Jogos Olímpicos começaram no dia 5 de agosto, quando aconteceu a abertura. Há quem diga que começou no dia 3, quando foi realizado o primeiro jogo entre Suécia e África do Sul, às 13h. Mas para crianças de quatro comunidades cariocas – Antares, Rola, Providência e Pedra Lisa – os Jogos Olímpicos começaram no dia 30 de agosto, um sábado, quando elas tiveram a oportunidade de disputar o Favela Games, das 9h às 17h.

As crianças e adolescentes disputaram modalidades como futebol society, futsal,  tênis de mesa e atletismo – tanto no masculino como no feminino. Além disso, as outras crianças e moradores presentes desfrutaram de atividades de lazer, pipoca, algodão doce, brincadeiras e atrações artísticas. O grupo de hiphop GX Brasil – que está se apresentando durante os Jogos Olímpicos – esteve presente e dançou muito com a garotada, que também assistiu a apresentações de teatro de uma equipe de voluntários australianos. O Favela Games foi realizado na quadra do Antares,  das 9h às 17h, pela ONG Refúgio para Meninos e Meninas de Rua (REMER), e teve o apoio do movimento Jesus 4 All e da ONG Jovens Com Uma Missão (JOCUM).

Kelly Rodrigues tem 22 anos e mora na comunidade Antares desde que nasceu. Já foi voluntária da REMER no projeto Universo Cultural e trabalhou como voluntária no Favela Games. “Foi um evento maravilhoso, que integrou a comunidade com os voluntários do projeto. É uma coisa nova para a comunidade e eu achei maravilhoso, porque incentiva todo mundo a praticar esporte”, disse.

 

Segundo o que Kelly nos contou, o evento foi um marco diante da realidade cotidiana de Antares, que costuma ser violenta. Ela comentou que “Tem muita operação, muito tiroteio, a gente não tem esse tempo de se divertir, de brincar e de praticar esporte ao ar livre com segurança. E o dia de hoje tem sido maravilhoso, porque as crianças estão podendo se divertir, ser criança, e participar de um esporte interagindo com outras comunidades, o que é um pouco difícil de acontecer”.

Geizer Vargas, um dos voluntários da REMER, acredita que o Favela Games proporcionou muita coisa boa para a comunidade. “A gente tem certeza que deixou uma mensagem muito legal para as crianças. Foram 176 atletas, das 4 comunidades, cada um participando em várias modalidades. Deixamos a medalha e a Palavra de Deus no coração dessas crianças. Elas vão levar esse dia para sempre nas suas vidas, eu tenho certeza”, disse ele sorrindo.

Outra programação do evento foi o “Kids Games”, que são jogos comunitários com o objetivo de passar valores e princípios para a criançada. Vanessa Americando, uma das instrutoras do jogo, estava realizada por participar de tudo aquilo. “Fomos extremamente abençoados por estarmos ali, e fica a nossa palavra de gratidão por poder participar desse projeto e termos sido benção na vida das crianças. Mas as crianças também foram bênçãos em nossas vidas. É maravilhoso ver o sorriso no rosto de cada uma delas, a alegria estampada por poderem ter tido esse dia de grande festa, de grande alegria para todos”. Alcenir de Oliveira, que também coordenou o Kids Games, concorda. “É uma alegria servir com aquilo que Deus tem nos ensinado a fazer. Ver o sorriso de cada criança, poder participar do amor de Jeuss por eles, do cuidado que o Senhor tem por cada um deles, é uma experiência enriquecedora e que preço nenhum paga”.

Quem quiser saber mais sobre a REMER, pode acessar o site http://www.remer.org.br.

0 Comments

Leave a reply

CONTACT US

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Sending
Copyright 2017 Grassroots News International

Log in with your credentials

Forgot your details?